quinta-feira, 19 de maio de 2011

A Essência do Benfica

Este texto de “O Benfica Sou Eu” representa a essência do Sport Lisboa e Benfica.


Este nosso companheiro teve a sorte de ver a sua pena ser guiada por Cosme Damião, Maurício Vieira de Brito, Borges Coutinho e muitos outros, aos escrever estas linhas.

É desta serenidade que precisa o Sport Lisboa e Benfica!

Parabéns, companheiro!



“Meu caro Presidente,



Estivemos juntos várias vezes e numa das saídas do Benfica para a Liga Europa tivemos oportunidade de nos cumprimentar e trocar algumas palavras. Tenho por si e por qualquer pessoa que represente a nossa grande Instituição o maior apreço e não me ouvirá nunca tecer críticas pessoais fáceis e oportunistas contra a sua pessoa, porque não é o meu estilo.



Começo exactamente por aí. O seu estilo de Presidente é hoje fácil de analisar.



Está no Benfica há 10 anos e foi uma pessoa fundamental no mandato de Vilarinho e depois nos seus mandatos como Presidente, porque contribuiu decisivamente para a credibilização do Benfica junto de fornecedores, da banca e foi uma das pessoas responsáveis pelas construções do Estádio e o consequente parque desportivo criado nesse perímetro, do centro de estágio do Seixal e de algum saneamento financeiro que o Benfica tanto ambicionava.



Além disso, recordo que foi no seu mandato que "alguém" se lembrou de dar nomes às bancadas e com isso trazer receitas extraordinárias importantes, antes do Benfica poder finalmente vender o naming da nossa catedral e foi também no seu consulado de presidente que demos nova vida às publicações do clube - jornal, revista Mística e o novo canal Benfica TV.



Também não esqueço que foi no seu mandato que dinamizámos a campanha de "maior clube do mundo em associados" fruto de aguerridas e agressivas campanhas de marketing fazendo do cartão de sócio do Benfica um verdadeiro cartão de descontos, facilitando com isso a angariação de indecisos que sendo apaixonados pelo Benfica não tinham ainda a motivação necessária para se fazerem sócios e conseguiu criar uma marca nova para os famosos cativos - Red Pass - com especial sucesso numa altura sempre importante de contratações e de definição de orçamentos como é o início de época.



Por tudo isto e por vir com Vilarinho depois de Vale e Azevedo, tem o seu nome associado à história de grandes pessoas que serviram o Benfica e vai ser o nosso Presidente com mais anos de mandatos o que só por si será Histórico.



Também tenho que lhe dar os Parabéns pela dinamização de todas as modalidades e em vários escalões, mantendo e cumprindo a sua promessa de fazer do eclectismo do Benfica, uma imagem de marca das direcções por si presididas e pela maneira como "armou" o Benfica com as casas do Benfica espalhdas pelo mundo.



Por tudo isto, os meus sinceros Parabéns e o agradecimento pelo bem que tem feito ao serviço do grande Sport Lisboa e Benfica.



Depois de assistir à sua entrevista na Benfica TV a semana passada, eu fiquei com uma ideia clara de que pelo menos mais um objectivo você vai conseguir cumprir e que muito me satisfará. Disse que até ao final do seu mandato teremos o novo museu do Benfica inaugurado e essa, é uma das obras mais importantes dos últimos 25 anos porque eu sou dos poucos que sei realmente como estava o espólio do Benfica, há mais ou menos 18 anos.



Há muitos anos, ainda no tempo do senhor Manuel Damásio eu tive a oportunidade de ajudar a catalogar todo o espólio de taças que o Benfica tinha. Nesse tempo, todas esses troféus estavam colocados por baixo do terceiro anel e eu andei aí com outras pessoas a tentar apanhar uma ponta que se pudesse pegar na vergonha que ali estava diante dos nossos olhos. Aí andei algumas semanas a fazer um trabalho complicado e de grande paixão, mas a liderança do Presidente e das pessoas que estavam abaixo dele não mostraram grande interesse na continuação dessa empreitada e tudo ficou no mesmo local, dando por perdido todo o tempo ali despendido e deixando no mesmo local frio e húmido toda a história - ou grande parte da história - do nosso Sport Lisboa e Benfica.



Nunca mais soube desse espólio mas sei que hoje, entre algumas coisas roubadas, entre algumas coisas perdidas e entre outras coisas desaparecidas, temos uma equipa profissional a trabalhar nessa área e a fazer o inventário de tudo, a restaurar o que deve ser restaurado e a tratar do que teve décadas a ser totalmente esquecido.



E sabe, senhor Presidente, porque no seu mandato este museu vai ser inaugurado? Porque o senhor sabe gerir estas equipas e sabe gerir estes timings. O senhor sempre mostrou que na sua vida sabe gerir empreitadas difíceis, trabalha bem com os senhores da construção civil, sabe dar um berro onde deve ser dado e fazer ouvir a sua voz com este tipo de interlocutores. Eu não tenho o mínimo talento para gerir obras, mas sei que o senhor Presidente tem esse talento e tem essa capacidade de saber gritar quando é necessário e motivar essas equipas para cumprirem com um timing acordado, ou para trabalharem mais e melhor.



O problema destes 10 anos que já leva trabalhando e servindo o nosso clube, é que ninguém consegue fazer tudo bem e com esta conjuntura do desporto em Portugal neste momento - futebol e amadoras - penso que já deu muito ao Benfica, mas não pode dar muito mais na vertente desportiva porque a verdade é que o senhor Presidente tem um estilo, um discurso e uma maneira de ser, oposta ao que o Benfica precisa nos próximos anos para conquistar definitivamente a parte desportiva e afirmar-se novamente como um clube dominador nas várias modalidades.



Sinto que o seu tempo no Benfica está a chegar ao fim e sei que antes de sair, deixará os acordos assinados para os direitos televisivos, sei que o museu será inaugurado, sei que deixará tudo organizado ao nível das amadoras, sei que deixará contratos de publicidade estáveis e longos com Sagres com Adidas - ou outra marca de roupa - com a PT e até pode ser que deixe o naming do Estádio definido... Se conseguir tudo isto, deixará uma marca no clube que jamais será esquecida.



No entanto, falta-lhe a inteligência, savoir faire e sensibilidade para saber gerir futebol e saber gerir a parte desportiva no geral. Por mais que tente arranjar pessoas ao seu lado que saibam fazer as coisas, ou que o Presidente pense que sabem fazer as coisas bem feitas, também gosta de opinar e depois acaba por não deixar mais ninguém mandar.



Sabe senhor Presidente, que quando fala das equipas maravilhosas que fazem parte da gestão do nosso clube - e eu acredito que existem alguns bons profissionais - isso não se repercute na gestão desportiva, não se repercute na atitude dos treinadores, dos jogadores e na comunicação (ou falta de comunicação) entre o Benfica e os media, entre o Benfica e os adversários ou entre o Benfica e os seus próprios sócios.



Sabe senhor presidente, quando isto tudo é visível?



Quando a equipa de futebol profissional passa o ano a brincar e ninguém entende isso. Quando a equipa profissional foi humilhada a toda a linha na champions league, no campeonato - 21 pontos atrás do FCPorto será sempre humilhante - quando foi humilhada na Taça de Portugal em casa, quando é humilhada em Braga para a Liga Europa e quando todos assobiam para o lado sem que exista uma liderança forte que segure o barco.



Eu vi-o falar na Benfica TV e deu-me pena. Pena porque tenho simpatia por si, deu-me pena pela sua total incapacidade em entender que o seu tempo está a chegar ao fim e entender que os seus talentos como Presidente são outros que não a gestão desportiva.



"Quem treina o Benfica arrisca-se a a ser campeão" dizia-se nos idos anos 60 ou 70. Hoje quem treina o FCPorto é seguramente campeão, mesmo que não ganhe nada em mais nenhum outro clube como tantos treinadores que por ali passaram.



Quem é Presidente do Benfica durante três mandatos arrisca-se a ser campeão várias vezes e o senhor Presidente foi até agora, campeão duas vezes o que é manifestamente pouco.



Ganhou poucas Taças de Portugal, fez pouca coisa na Europa e se não fossem as novas Taças da Liga que temos dominado, pouco se podia dizer do seu mandato desportivo. As razões para que isso aconteça, são várias e não quero falar disso agora, porque o senhor será o meu Presidente até ao ultimo dia, tratá-lo-ei por "senhor Presidente" até ao seu último dia de vida e terei por si o maior respeito e amizade, sempre.



Mas acredite, que o seu tempo está a chegar ao fim e não queira prolongar o seu mandato ou não queira deixar "benjamins" da sua gestão no seu lugar de Presidente.



O senhor Presidente não tem a força nem a juventude que o Benfica precisa neste momento, o senhor Presidente e a sua equipa não têm a inteligência e o saber estar/saber fazer necessários para poder encarar estas próximas épocas que se avizinham.



Eu passo muito tempo fora de Portugal e nem por um dia me esqueço do Benfica. Acompanho a equipa a todo o lado e venho ao Estádio da Luz acompanhar todos os desportos - no próximo domingo vou apanhar um avião de manhã em parte incerta da Europa para estar no terceiro jogo do playoff de Basquetebol e fazer o meu trabalho como grande benfiquista que é apoiar despreocupadamente - mas entendo tão bem o problema principal do nosso Benfica e sei que para resolver esse problema do Benfica a nível desportivo só existe uma solução.



Começo por dizer lhe que o óbvio problema é a gritante falta de liderança e uma hierarquia pouco identificada com os verdadeiros valores do Benfica.



Eu disse várias vezes este ano que o Benfica andava à deriva e que Jorge Jesus não estava a conseguir ter mão na equipa, independentemente dos erros ou das virtudes tácticas do nosso treinador, que isso não devemos discutir.



Era óbvio que as derrotas que íamos somando no campeonato e na champions league eram assimiladas pelos jogadores, como se nada fosse. Era óbvio que não havia liderança e eu quero dizer-lhe meu caro Presidente que estive em hotéis no estrangeiro onde a nossa equipa pernoitou e vi muita coisa que não são normais de ver numa equipa de alta competição.



Eu não culpo os meninos que têm 21 anos (ou outros com pouco mais de idade) que querem fugir dum hotel - sim vi com os meus olhos e ninguém me contou - mas o que me preocupa é que ninguém na nossa estrutura queira sequer saber ou estar de olhos atentos ao que se passa. O que me preocupa é que os jogadores não têm medo de nada porque não há disciplina que os castigue, porque não há solidariedade e porque não há nada naquela equipa e naquela estrutura que soe a "ganhador".



Eu já disse e repito que o respeito muito e nutro por si um sentimento de agradecimento incondicional, mas não lhe revejo características inatas para gerir este barco, na vertente desportiva. Digo-o com pena e com uma imensa tristeza.



A vertente desportiva do Benfica não é apenas vender, comprar, definir os nomes, fazer mais valias ou gerir com o fundo de investimento dos jogadores. É muito mais que isso... O dia a dia do futebol tem de ser vivido com alegria, com motivação, também com brincadeira e espirito de grupo aqui ou ali, mas com muita responsabilidade por todos. Muito respeito pelo clube que servem em cada treino, em cada jogo, ou em cada momento que estão com a águia ao peito (e isso inclui obviamente as concentrações nos estágios da equipa).



Acho que neste momento a equipa precisa duma revolução e a nossa direcção é demasiado burguesa para poder dar esses passos.



Não leve as minhas palavras a mal quando falo em burguesia, porque sei donde veio e os valores que defende, mas não se engane mais e tente ver o que se passa no nosso Benfica. Não é por Jorge Jesus ter um discurso do futebol que vai saber liderar pessoas que lhe perderam o respeito há muito tempo.



Não podemos ter um director desportivo que não tem voz activa, nem respeito dos jogadores numa estrutura que você mesmo criou e que você mesmo desautorizou variadíssimas vezes.



Não podemos ter uma equipa construída por brasileiros e argentinos, sem identidade portuguesa e sem os valores de "Ser Benfiquista" enraizados em toda a estrutura.



Não podemos ver uma equipa de férias desde há muito tempo sem que ninguém na estrutura, tenha reparado ou dado um murro na mesa.



Não podemos ter uma equipa que sente a derrota com total impunidade, como algo normal e sem sequer se preocuparem com essa mesma derrota.



Não podemos ter uma estrutura de futebol que deixa os jogadores saírem do ultimo jogo no Estádio da Luz directos ao balneário, sem virem agradecer o apoio dos sócios.



Sabe o que eu faria se estivesse no seu lugar neste passado sábado? Eu juro-lhe que vinha cá abaixo ao balneário e estando nus, em cuecas, vestidos ou semi vestidos, obrigava-os a voltarem ao relvado e irem agradecer como Fábio Coentrão o fez. E sabe porque Fábio Coentrão o fez ? Não é porque se vai embora para um outro clube - sim é verdade que o vai vender, mas não se foi despedir - mas sim porque ama o Benfica, sente o Benfica e sabe que ninguém se despede duma época diante de 30 000 sofredores que com tudo perdido ainda vão ao estádio, a correr para o balneário.



Sabe quando se nota que tudo está perdido naquela estrutura? É quando no inicio do consulado de Jorge Jesus, o próprio treinador os obrigava a virem ao terceiro anel agradecer o apoio - em casa e fora - e agora ninguém tem respeito por ninguém.



Custa assim tanto, sentir um clube? Custa se me pedirem para sentir o Boca Juniors ou o São Paulo... Mas se me pedirem para sentir o Benfica eu tenho os valores, a história e o contexto porque sou português, mas mesmo que não seja português, eu tenho de sentir a disciplina e o respeito pelos valores do clube.



Meu caro Presidente, entendo que o seu silencio às constantes atordoadas de Pinto da Costa ao Benfica é o melhor que pode fazer, mas o Benfica não pode deixá-lo sem resposta. Não podemos estar um ano a ser bombardeados diariamente com frases surreais contra o Benfica sem que ninguém lhe chame nos olhos "corrupto, mentiroso e mau carácter".



Não podemos ouvir uma pessoa ir para Dublin dizer que "chega à final sem mãos" (citando o saudoso Vata) e ninguém lembre a esse senhor "que além da final de champions de Mourinho que roubaram escandalosamente o Manchester United nos quartos de final, ninguém no nosso clube anda a comer com árbitros antes ou depois de jogos internacionais, não temos árbitros com declarações de viva voz no YouTube a declarar que viajaram para Marrocos à conta do nosso clube ou que influenciaram resultados com pagamentos de prostitutas e também não andamos nas páginas dos jornais internacionais pelas piores razões de corrupção."



Eu não estou a exigir nada mais de si e não lhe pedirei nada mais a não ser que acabe o seu mandato com a dignidade que merece como pessoa e que o Benfica merece como Instituição.



Entendo que queira manter Jorge Jesus pelo contrato que assinou e porque não tem força nem vontade para começar um novo ciclo, quando o seu próprio ciclo se está a fechar, mas lembre-se que não estamos preparados para mais um "caso Fernando Santos" ou para uma prematura chicotada psicológica nesta nova época. Lembre-se meu caro Presidente que as hostes encarnadas estão muito desmotivadas e que este será um ano de crise nacional e difícil nas renovações dos Red Pass, será um ano difícil para receber as quotas dos 240 000 sócios e será um ano de tolerância zero para um plantel que se quer a jogar nos limites da motivação, do sacrifício e da paixão pelo clube.



Se a isso juntarmos a disciplina que ninguém consegue impor nesta estrutura - e por favor nem quero ouvir falar de Couceiro ou de Octávio - teremos os condimentos necessários para podermos fazer uma época digna.



Sabe, meu Presidente, ser digno na derrota é algo bonito no desporto. Perder quatro vezes com FCPorto, ser eliminado contra SCBraga e ter não sei quantas derrotas num ano pode ser desastroso, mas podem haver aplausos no fim se todos virmos que a nossa equipa deu tudo em campo e foi derrotada por alguém superior. Isso é normal e pode acontecer. O que não pode acontecer é ver esta equipa de férias desde há várias semanas sem que ninguém conseguisse motivá-los para ir a uma final europeia ou para ganhar à Naval na Figueira da Foz, por exemplo.



Não acredito em "equipas B" no Benfica. Quem representa este clube tem de lutar para ser sempre mais forte que os adversários mesmo que perca no final. O que se passou este ano foi algo que não víamos há muito tempo e que seguramente não me lembro de ver em tempos recentes.



Sabe que enquanto existirem pessoas na nossa estrutura que não consigam impor o respeito pelo Benfica aos nossos jogadores, eles sentirão que podem fazer o que querem. Enquanto continuarmos a chorar os penalties não marcados e as roubalheiras que nos fazem nos relvados a cada semana, os jogadores vão achar que essa desculpa também os desculpará a eles pelo mau profissionalismo em campo e fora dele.



Neste momento já entendemos que o Presidente não tem o perfil para que o respeitem como o chefe absoluto e o seu trabalho terá que ser noutras áreas de gestão, mas ao contrário de dizer que vai delegar menos, tente arranjar alguém que possa fazer esse trabalho bem feito, veja quem pode chefiar o nosso departamento de comunicação sem toques de vedetismo e tente acabar o seu mandato com paixão pelo clube, com humildade, à Benfica e com uma vontade imensa de "fazer Bem".



Meu caro Presidente, até ao ultimo dia da sua vida terá aqui um sócio agradecido, mas pense seriamente em dar o máximo no que resta do seu mandato nas áreas que domina, delegar em quem sabe o que você manifestamente não tem talento para fazer e prepare a sua saída com obra e com alguns resultados. Todos sabemos que a memória que conta no futebol é o presente e se conseguir dar mais disciplina a toda a estrutura do futebol e das amadoras, se conseguir que os jogadores corram o dobro de todas as outras equipas e se conseguir alguns títulos, sairá pela porta grande do nosso estádio.



Para mim, será já o melhor presidente dos últimos anos, não pelo que ganhou, mas pelo que deixará para o próximo poder ganhar. Espero que entenda que o seu tempo está a chegar ao fim e dê o máximo para poder sair com elevação e nível.



Um grande abraço Presidente e felicidades pessoais e profissionais.



Força Benfica”

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Liga Europa – Meia-Final – SC Braga vs. Sport Lisboa e Benfica

Hoje é dia de alegria! Hoje é dia de Amor e Benfica! E hoje é também o dia de Amor ao Benfica!


Hoje vamos carimbar a passagem à final da Liga Europa, com uma exibição determinada, com raça, força e ambição. Hoje todos serão heróis, de Roberto a Cardozo.

Obrigado pelo esforço e determinação, rapazes! Hoje é o vosso dia! Desfrutem!

Hoje às 22h, Carlos Mozer e Vítor Paneira (dois dos meus ídolos de juventude) serão “vingados”. Rumo a Dublin! Rumo ao nosso Destino!

Vamos vencer! Prognóstico: 0 x 2. Saviola e Javi García.

Carrega Benfica! Por Cosme Damião, por Eusébio e até por Bella Gutman!

terça-feira, 3 de maio de 2011

Tu, que és tudo para mim!

Hoje não falo de Benfica, nem de futebol, nem de qualquer outro desporto.


Hoje falo de Amor! Do meu Amor!

Hoje, mais que nunca, estou aqui, ao teu lado, de mão dada contigo. Hoje, como em todos os outros dias, dou-te o meu ombro para que possas encostar a tua cabeça e descansar por momentos no meio desta selva. Hoje, como sempre, sinto-me pequeno ao pé da tua força, da tua vontade de viver, da tua coragem e de todo o teu Amor. Hoje, tenho o coração nas mãos e o pensamento longe de mim.

Sei que tudo correrá pelo melhor. Sei que dentro de poucas horas estarei ao teu lado a tentar fazer-te sorrir e feliz por ver-te, apenas ver-te.

Hoje, mais do que em qualquer outro dia, o meu pensamento é positivo e perfeito, porque apenas consigo pensar em ti. Em ti, que és tudo para mim!

Adamo-te! :)

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Isto sim é o Benfica! Aprendam, imbecis “Clientes” do Sport Lisboa e Benfica!

Enorme texto! Isto é Benfiquismo no seu estado mais puro. Obrigado, Velho Estilo Ultras!


Aprendam, imbecis! Aprendam de uma vez por todas!

Viva o Sport Lisboa e Benfica!

http://veultras.blogspot.com/2011/04/carta.html
 
P.S.: Atenção às duas notícias relativas ao Varzim.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Liga Europa – Meia-Final – Sport Lisboa e Benfica vs. SC Braga

Hoje é dia de se fazer História!


Hoje os nossos bravos jogadores irão honrar a nossa História!

Hoje, o nosso Carlos Mozer vai finalmente poder sorrir, por saber que após a sua expulsão em Parma, vamos novamente a uma final Europeia.

Hoje, grande parte do trabalho é nosso! Temos que encher a Luz! Temos que infernizar o Braga! Eles têm que perceber que nós somos muito fortes, que somos imbatíveis!

Hoje, nós adeptos, temos que saber ser Benfica! Temos que respeitar a nossa História! Os jogadores saberão respeitar-nos com a sua energia, com a sua garra, com o seu querer e com a sua magia. Temos também nós a obrigação de nos respeitar.

Como alguém disse, basta uma cadeira vazia para que o Benfiquismo já tenha perdido.

Há 17 anos atrás estive entre os cerca de 100.000 adeptos que viram uma exibição de gala contra o Parma de Zola, Asprilla ou Brolin. Hoje estarei entre os 62.000 que engolirão o Salvador, o Domingos e os seus pupilos.

Obrigado rapazes! Agradeço-vos porque sei que farão desta uma noite gloriosa na História do Sport Lisboa e Benfica. Obrigado!

Vamos a Dublin!

Vamos Benfica!

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Reerguer o Sport Lisboa e Benfica

Não vou falar do jogo de ontem, que não vi. Não vou falar desta época, em que perdemos muito e em que ainda podemos ganhar algo.


Vou falar do futuro! Vou falar da forma como penso que o Sport Lisboa e Benfica se deverá reerguer para voltar a dominar o futebol em Portugal e para voltar a ser respeitado na Europa.

Para começar, vou falar do… Futebol Clube do Porto. Não porque tenho qualquer obsessão com este adversário, mas para tentar explicar qual o caminho que devemos percorrer.

No final dos anos 70 do século passado, o Porto era um clube secundarizado. O desporto em Portugal vivia em volta da luta Benfica vs. Sporting, sendo o Porto aquele clube que, muito de vez em quando, poderia almejar ganhar um campeonato ou uma taça. Em 1977 o Porto tinha 5 campeonatos ganhos e acabava de ganhar a 4ª Taça de Portugal do seu palmarés. Nesta época já o Benfica somava mais de 20 campeonatos e perto de 20 Taças de Portugal.

Mas, como foi possível ao Porto transformar-se num espaço de apenas 10 anos? Sim, porque em 1987 o Porto chega a Campeão Europeu.

Deixando de lado tudo o que é extra-futebol (e que tem muita influência nos resultados obtidos), o grande trunfo do Porto é a garra e o querer das suas equipas, principalmente, quando jogam contra adversários de valor igual ou superior. Foi a garra e o querer derrubar um “inimigo” que fez (e continua a fazer) o Porto ganhar. O que têm em comum jogadores como João Pinto, Frasco, Vermelhinho, Semedo, Lima Pereira, Jaime Pacheco, Secretário, Sérgio Conceição, Fernando Couto, Jorge Costa, Bruno Alves e João Moutinho? Uma vontade imensa de ganhar e… são todos Portugueses!

É tempo de o Benfica perceber que a força de vontade e o espírito de conquista são tão ou mais importantes que a técnica e a táctica. Como pode o Jardel ou o Javi Garcia (ou qualquer outro jogador estrangeiro) perceber a importância do jogo de ontem com o Porto, se não sabem (nem têm familiares ou amigos que saibam) que até ontem o Porto nunca havia ganho na Luz para a Taça? Que até este ano, apenas o Benfica tinha vencido um campeonato nacional invicto?

Atenção, não sou contra a presença de jogadores estrangeiros no Sport Lisboa e Benfica! Ricardo Gomes é um dos meus maiores ídolos de sempre. Mozer, idem. Isaías, Preud’homme, Luisão, Aimar e muitos outros são jogadores que admiro e respeito. Mas, quem ontem chorou aquela derrota não foi o capitão Luisão, nem o mago Pablito Aimar, ou o genial Javier Saviola. Foram Fábio Coentrão e Carlos Martins! Porquê? Porque, mesmo que não sejam benfiquistas, sabem o que significa o Benfica. Sabem o que significa ganhar ou perder com o Porto e com o Sporting. Assim como o sabem, muitos miúdos por esse país fora.

O momento decisivo da época 2010/2011 não foi a Supertaça ou os 5-0 do Dragão. O momento decisivo da época foi a contratação de João Moutinho pelo Porto e não pelo Benfica. João Moutinho teria sido o substituto ideal de Ramires. Assim, toda a raça e entrega ao jogo de Moutinho foram transferidas para o Porto.

Este é o momento em que se joga a hegemonia no futebol em Portugal. A distância entre os 2 gigantes é praticamente nenhuma e os próximos 10 anos irão dizer quem embala para a glória e quem fica a lutar com o Sporting.

Temos que olhar para dentro!

Temos que olhar para a nossa estrutura e injectar-lhe Benfiquismo!

Temos que “aportuguesar” as equipas do Benfica! Um Aimar e um Luisão são importantes. Mas deveriam estar rodeados de mais Fábios, Carlos e Rúbens.

Temos que injectar espírito de conquista no clube! Ao contrário do Porto, este espírito não deve ser contra ninguém, mas em nome da nossa História. Em nome de nós, adeptos! Em nome do Benfica!

É na nossa História que deveremos encontrar a resposta ao momento decisivo que vivemos.

Não devemos esquecer que Eusébio ganhou uma Taça dos Campeões Europeus, mas Mário João ganhou duas!

Espírito de conquista! Garra! Fé! Portugalidade! A isto chama-se Mística!

Viva o Sport Lisboa e Benfica!

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Obrigado Rapazes!

Obrigado aos nossos bravos!


Obrigado por nos permitirem, 17 anos, depois voltar a uma meia-final de uma competição europeia.

Obrigado por nos permitirem, 23 anos depois, vingar o nosso capitão Veloso.

Obrigado ao Salvio por ter, estoicamente, aguentado aqueles minutos em campo com um dedo partido.

Obrigado ao Roberto pelas magnífica defesas que tem feito ao longo desta época e que nos permitiram estar, neste momento, na final de uma competição e nas meias-finais de outras duas. Foi enorme em Estugarda e Paris. Foi decisivo em Eindhoven.

Obrigado ao capitão Luisão pelo jogo e golo de ontem, mas também por tudo o resto: liderança, espírito de sacrifício, coragem, mística Benfiquista.

Obrigado ao César Peixoto pelo bom jogo que fez e pela disponibilidade que demonstra em ajudar o Benfica, quando muitos sócios e adeptos tudo fazem para que ele se sinta mal com a nossa camisola.

Obrigado ao Tacuara por mais um golo importante e por tudo o que faz em campo, em prol da equipa.

Obrigado ao Nico por trazer imprevisibilidade, técnica e velocidade ao jogo do Benfica. Parece-me que será muito importante nos jogos das meias-finais.

Obrigado a “El Conejo” Saviola, por toda a classe e inteligência que demonstra, mesmo nos jogos que não lhe saem tão bem.

Obrigado ao Maxi pela sua coragem, pelo seu esforço, pela sua atitude. Um jogador à Benfica!

Obrigado ao Fábio por ser uma verdadeira asa da águia imperial. E também pela sua capacidade técnica e força física. És enorme, Fábio!

Obrigado ao Jardel pela sua coragem e força anímica. Será um grande central do Benfica.

Obrigado ao Javi por ser um dos melhores do mundo na sua posição. Gigante, Javia García!

Obrigado ao Carlos por nunca virar a cara à luta. Por todo o teu inconformismo e capacidade técnica.

Obrigado ao Pablo, por nos dar a honra de vestir o Manto Sagrado e nos deliciar em cada pormenor.

Obrigado a todos os restantes jogadores (começando no capitão Nuno Gomes e terminando no benfiquista Rúben Amorim), por nos permitirem acreditar (ou “acraditar”) que vamos voltar a ganhar uma prova europeia.

Obrigado ao Jesus por toda a sua capacidade técnica e táctica e, acima de tudo, por ter devolvido a equipa do Benfica ao Sport Lisboa e Benfica.

Obrigado a todos!

Vamos Benfica! Lutar, correr e jogar o que sabemos. É assim que iremos ganhar ao Braga e estaremos em Dublin. Rumo ao sonho! Rumo à conquista!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Entrevista com Pablito Aimar

É um orgulho ter um ídolo do futebol mundial e um ser humano desta classe a representar o Sport Lisboa e Benfica.
O Benfica não é o “apagão”, nem as bolas de golfe, nem escutas probatórias de corrupção desportiva, nem tudo o que de grave se tem passado nas últimas décadas no futebol português. O Benfica é o que está espelhado nesta entrevista. O Benfica é Pablo Aimar, com a sua classe, a sua alegria em treinar e jogar, o seu desportivismo, a sua magia e a sua simplicidade.

Como Valdo, Mozer, Ricardo Gomes, Michel Preud'homme, Mats Magnusson e mais alguns bravos, Pablo Aimar é benfiquista.


Aqui fica a entrevista com “El Mago”:

http://www.youtube.com/watch?v=XjJh7r9Pg0A&feature=player_embedded

http://www.youtube.com/watch?v=oRZ0Ly-l_C0&feature=related


http://www.youtube.com/watch?v=fL5fmdLwXiY&feature=related


http://www.youtube.com/watch?v=JH7YO4ghVgY&feature=related


http://www.youtube.com/watch?v=n2Iu9rMBSJ4&feature=related


http://www.youtube.com/watch?v=0PgoziObONc&feature=related



“¡Vamos Pablito Aimar

que la gloria volverá

como Kempes y el Piojo

otro pibe inmortal”

Que orgulho em ver-te jogar com o Manto Sagrado!

Desejo que possas realizar os teus sonhos no mundo do futebol.

Obrigado!

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Os Imbecis Adeptos do Sport Lisboa e Benfica

O Sport Lisboa e Benfica é, como todos sabemos, o clube que detém o recorde do maior número de associados, ultrapassando já a barreira dos 200.000.


Segundo dizem, em Portugal e espalhados pelo Mundo, existirão mais de 10 milhões de adeptos e simpatizantes do Benfica. Acredito que assim seja.

De entre todos estes sócios, adeptos e simpatizantes, existem os engenheiros e os serralheiros, os padeiros e os arquitectos, os polícias e os políticos. Existem os novos e os velhos, os homens e as mulheres, os brancos e os pretos. Existem todos e todos somos Benfica!

Claro que entre tantos e tantos adeptos e, para contra-balançar, aqueles que tudo fazem em nome do seu amor pelo Benfica, existem os imbecis! Sim, o Sport Lisboa e Benfica tem imensos adeptos imbecis, mentecaptos mesmo.

Existem os imbecis que “comem” tudo o que os jornais e televisões lhe impingem.

Existem os imbecis que só vão aos jogos quando a equipa está em grande.

Existem os imbecis que desligam interruptores, denegrindo assim a mítica História do Sport Lisboa e Benfica.

E, ainda, existem os imbecis que vão ver os jogos apenas para passarem 90 minutos a dizer mal do Cardozo e a assobiar o Roberto. Imbecis! Imbecis! Imbecis!

Estamos nos quartos-de-final de uma prova europeia. Acabámos de ganhar 4-1 a uma das nossas “bestas negras” do futebol europeu e no entanto… assobiamos o nosso guarda-redes!

Estamos em Abril de 2011 com enormes probabilidades de ganharmos a Taça da Liga, de estarmos presentes na festa do Jamor e de voltarmos a uma meia-final europeia 17 anos depois. O que fazemos? Criticamos insistentemente o nosso ponta-de-lança que ontem fez um jogo enorme de entrega, de querer e de sacrifício.

Cambada de imbecis que não merecem o clube e a equipa que têm! Não merecem ver Aimar e Saviola, Coentrão e Maxi Pereira, Luisão e Javi. Mereciam que o Benfica voltasse aos Pringles, Paulos Madeiras, Kings e Paredões. Ah, e já agora ao Carlos “Manitas de Plata” Bossio.

Se estamos a um pequeno passo dos quartos-de-final da Liga Europa, devemo-lo também ao Roberto. Os imbecis esquecem-se rápido dos jogos em Paris e em Estugarda.

Sim, é um facto, somos um enorme clube! Sim, conseguimos ter 40.000 adeptos no jogo europeu disputado fora de Portugal. Sim, conseguimos festejar um título em todas as cidades de Portugal e em múltiplos locais do mundo.

E sim, temos entre nós, demasiados imbecis!

Pablito Aimar

“¡Vamos Pablito Aimar
que la gloria volverá
como Kempes y el Piojo
otro pibe inmortal”



É um luxo poder ver Pablito Aimar com a camisola 10 do Sport Lisboa e Benfica.

A magia do futebol manter-se-á viva e pujante enquanto artistas do calibre de Pablito continuarem a desenhar a sua arte pelos estádios do futebol mundial.

Podem surgir os Blatters e Platinis deste mundo, com as suas irracionalidades e buçalidades. Podem emergir os Pintos da Costa e demais corruptos. Podem jogar os Rolandos, Pringles e afins. Quando Pablo Aimar conduz a bola junto à sua bota direita, ou quando, sem lhe tocar, retira vários adversários da frente, sabemos que nesse momento mais uma obra de arte está a ser criada, mais um pedaço de história se está a escrever.

Não tive o privilégio de ver jogar Eusébio da Silva Ferreira e acho que este facto sempre me marcará. Gostava de poder recuar no tempo e assistir às noites mágicas do Pantera Negra, bem como à pujança, determinação e inteligência do Monstro Sagrado, senhor Mário Coluna. Infelizmente, não tenho essa possibilidade.

Mas vi Chalana! Vi Humberto! Vi Valdo! Vi Mozer! Vi Rui Costa e João Pinto! Vi Simão! Todos grandes! Todos com lugar cativo na galeria dos notáveis do Sport Lisboa e Benfica (sim, os notáveis do Benfica são estes e não outros!). E agora, tenho a honra e o dever, de me maravilhar com o futebol de Pablo Aimar, “El Mago”.

Mas, se Pablo Aimar é um grande jogador, como Homem é enorme. Consegue ter ainda mais classe e inteligência fora do campo do que aquela que apresenta “en la cancha”.

Espero que todos os Benfiquistas saibam a sorte que têm em poder ver Pablo Aimar com a nossa camisola. Espero também, que a nossa Direcção saiba que não existem muito jogadores com esta classe e com este nível. Aimar é Eterno! Aimar é… Benfica!

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Parabéns Sport Lisboa e Benfica! 107 Anos de Glória!

Hoje estamos de parabéns! O nosso Sport Lisboa e Benfica faz 107 anos de vida! E que vida!



Vitórias, alegrias, glória!

Ser Benfica é ser maior.

Ser Benfica é saber, sempre, que o desporto é divertimento, é vida, é felicidade.

Ser Benfica é ter a audácia de sonhar e a capacidade de realizar os sonhos.

Ser Benfica é ganhar e saber ganhar, mas mais importante, é saber perder.

Ser Benfica, é ser justo, honesto, audaz, forte, íntegro.

Ser Benfica é amar. Amar uma Bandeira, um Símbolo, uma Equipa.

Ser Benfica é ser grande, nunca sendo pequeno.

Ser Benfica é acreditar, sofrer, amar e ganhar.

Em todas as terras, por todos os mares, levamos o teu nome à glória Universal.

Faça frio ou chuva, neve ou faça sol. Os adeptos do Benfica seguem-te até à Eternidade.

És Benfica! Sou Benfica! Viva o Benfica!

Parabéns a Nós!

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Agradecimento

Quero agradecer ao nosso Jesus e aos seus 14 discípulos o fabuloso jogo de logo à noite.

Vamos ganhar! Vamos mostrar muito futebol! Vamos encantar!

Agradeço também aos cerca de 3000 bravos que irão apoiar a equipa incessantemente.

Para aquecer até à hora do jogo, aqui fica um pedaço do mito Sport Lisboa e Benfica

http://www.youtube.com/watch?v=Ww_DOQN2Sg8

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Para meditar...

Para meditar...

http://geracaobenfica.blogspot.com/2011/02/o-que-temos-em-portugal-futebol-ou.html

Excelente texto de um blog de referência.

Se nem conseguimos ter uma Federação dentro da legalidade, quando conseguiremos ter um futebol saudável?

Este vai ser um grande fim-de-semana para o Glorioso Sport Lisboa e Benfica! :)

Bom fds a todos os desportistas e em especial a quem sente a "chama imensa".

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Obrigado!

Obrigado Jesus!
Obrigado Sidnei!
Obrigado César!
Obrigado aos demais heróis!

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O Destino está nas nossas mãos… e pés!

Na próxima 4ª feira joga-se a 1ª mão das meias-finais da Taça de Portugal, entre o FC Porto e o Sport Lisboa e Benfica. É mais um jogo a juntar a tantos outros que já ocorreram esta época mas, não tenhamos dúvidas, é muito mais que um jogo. Por muitas razões.


Porque é um grande clássico do futebol Português dos últimos 25 anos.

Porque uma vitória irá implicar a presença do Benfica na festa do Jamor (que saudades da festa do futebol).

Porque é a personificação da luta do Bem contra o Mal. Dos justos, honestos e mágicos, contra os corruptos, falsos e dissimulados.

Porque é o momento de viragem da época, com o FC Porto a começar a cair e o Benfica a levantar, definitivamente, voo.

Porque a nossa vitória no estádio do Dragão vai implicar a superação do último obstáculo psicológico desta equipa do Benfica.

Porque a nossa vitória será sobre as bolas de golfe, as galinhas a correr no campo, os apedrejamentos aos atletas, os líquidos tóxicos nos balneários, os guardas Abéis e todos os demais esquemas mafiosos.

Porque as crianças precisam de saber o seu lugar e precisam que alguém as ensine a comportarem-se.

Porque será um ponto de viragem do futebol Português. Na semana em que os poderes obscuros do nosso futebol resolveram manter a pouca vergonha e o status quo nauseabundo, o Sport Lisboa e Benfica irá limpar o ar que se respira.

Porque somos o Sport Lisboa e Benfica e o nosso Destino é vencer. E vencer! E vencer!

Por isso, vamos ganhar na 4ª feira! Vai ser mais uma página dourada do livro de glórias do Sport Lisboa e Benfica.

Força Benfica!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Miklos Fehér



Faz hoje 7 anos que faleceu o jovem Miklos Fehér.


Infelizmente, todos os dias morrem jovens em Portugal e no Mundo. Porque razão falar neste jovem húngaro que nunca conheci pessoalmente? Por várias razões!

Porque assisti (assistimos) ao seu desfalecimento em directo e assistimos e sentimos a angústia daqueles momentos. Porque assisti às lágrimas de Camacho, de Miguel, de Tiago, ao desespero de Simão. Porque ainda me lembro do sorriso estampado na sua cara, momentos antes de se inclinar e cair.

Porque ainda me lembro que estava a ver o jogo na Casa do Benfica de Tires e lembro-me de ver a estupefacção na cara de todos, mesmo daqueles que já tinham bebido além da conta.

Porque ainda me lembro de que esse foi o único momento, até hoje, em que me senti mal a assistir a um jogo de futebol. Tive que sair, apanhar ar, fechar os olhos e acreditar que não se ia passar nada, era só um pequeno abalo. Não foi!

Porque ainda hoje me lembro das palavras e gestos de solidariedade de quase todo o “Futebol Português”, principalmente do Sporting Clube de Portugal. Porque essas palavras e gestos me levaram a pensar que algo iria mudar no nosso futebol. Que o ódio e o desrespeito ao Benfica iriam terminar. Pura ilusão…

Lembro-me de ti Miki, porque és um dos nossos! Porque tiveste a suprema honra de vestir o Manto Sagrado. Porque, caíste no campo de batalha a defender-nos, a defender o nosso Glorioso nome. Porque… e Pluribus Unum!

Até sempre Miki! Faz mais um golo por nós, hoje e sempre, aí no 4º anel.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

“Eu era o Homem mais feliz do Mundo!”

Diz Nelinho. E diz que era o Homem mais feliz do Mundo porque foi jogador do nosso Sport Lisboa e Benfica.
Não são precisas mais palavras.

Deixo aqui o vídeo e um Muito Obrigado, Nelinho! Força!
O Benfica não pode esquecer os grandes. E Nelinho é enorme!

Viva o Benfica!

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Apologia de Mourinho

Não concordo com tudo o que está escrito (nomeadamente, a referência a Leo Messi), mas acho um texto brilhante.


Pode lê-lo aqui: http://obenficasoueu.blogspot.com/2011/01/para-todos-os-invejosos-deste-pais.html

Obrigado ‘O Benfica Sou Eu’.

José Mourinho

Parabéns José Mourinho!
 
 
Até no discurso de agradecimento lhe conseguimos descobrir qualidades. Falou em Português. Elogiou os demais candidatos. Agradeceu a quem tinha de agradecer. Ah, e mostrou as emoções.

 
José Mourinho tem um percurso quase perfeito como treinador. Venceu no Porto. Venceu no Chelsea. Venceu no Inter. Irá vencer no Real Madrid e, se me permitem, irá vencer no Benfica.

 
Mourinho é um homem de objectivos. Define metas para si e para as suas equipas e faz de tudo para atingir essas metas. Assim, penso que no futuro mais ou menos longínquo, Mourinho tem 3 objectivos (à parte os objectivos mais imediatos que tem com o Real Madrid):

 
  • Vencer a Champions League pelo Chelsea – sim, acredito que esta conquista lhe está “atravessada”;

  • Ser seleccionador Nacional de Portugal – já o afirmou várias vezes e penso que cumprirá este objectivo daqui a 15 ou 20 anos;

  • Vencer no Benfica – Penso que Mourinho ainda pensa no Benfica e no que não conseguiu vencer no Benfica. Mais, penso que uma futura Direcção do Benfica deveria explorar este factor e conversar com Mourinho sobre o assunto. Algo como: “Mourinho, você é um vencedor! Em todos os clubes por onde passou ganhou. O único clube onde tal não aconteceu foi no Benfica. Vamos resolver essa situação?”

  
Quanto ao prémio, é apenas o reconhecimento de um treinador de excepção. Vencedor! Trabalhador! Português!

 
Parabéns, José Mourinho!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Carlos Mozer

Pela primeira vez, vou falar neste blog sobre alguém que não está (ou talvez não seja bem assim), actualmente, ligado ao Sport Lisboa e Benfica: José Carlos Nepomuceno Mozer!



Este enorme central dos anos 80 e 90 do século XX, é uma das referências dos primeiros 100 anos do nosso Clube. Alto, possante, atlético, vigoroso, duro, “mandão”, intimidatório, Carlos Mozer dominava toda a área defensiva e, muitas vezes, causava o pânico na área dos adversários.

Quando, após o abandono de Humberto Coelho, em Portugal jogavam centrais como Venâncio, Dito, José António, Lima Pereira e Geraldão, em 1987 chega a Portugal Carlos Mozer, vindo do mítico Flamengo. E logo, nesse ano, começa uma das mais fortes empatias entre um jogador (ainda por cima, estrangeiro) e o 3º Anel do Estádio da Luz.

No ano seguinte, Mozer faz parte da melhor dupla de centrais do Mundo (a própria France Football o referiu) com o seu compatriota Ricardo Gomes. Que privilégio! Mozer e Ricardo! Ricardo e Mozer! A classe e a eficácia de Ricardo, aliadas à força e determinação de Mozer. Foram jogos memoráveis que eu tive a sorte de poder assistir.

Mozer entendeu o Benfica e por essa razão, sabe que o Estádio da Luz é a sua casa. Sabemos todos que um dia regressará. Seja como treinador, como adjunto, como parte da estrutura do futebol ou, quem sabe, como consultor para a América Latina.

Uma das melhores histórias de benfiquismo além fronteiras, é a que Mozer conta sobre a sua experiência no Marselha de Bernard Tapie (aka, Bernardette).

Quando chegou a Marselha, Jean-Pierre Papin começou a meter-se com o Mozer e a dizer-lhe que o público do Velódromo era impressionante e que criava um ambiente tremendo. Ora, o Mozer tinha jogado no Inferno da Luz, pelo que não seria um estádio de 50 mil lugares que o iria atemorizar.

Quando o Marselha veio jogar a Lisboa para a mítica meia-final da Taça dos Campeões Europeus (em Abril de 1990), Mozer virou-se para Papin e disse-lhe que agora sim ele ia conhecer um ambiente infernal.

Antes do jogo começar, o Benfica fez uma homenagem a Eusébio e os 130 mil espectadores estavam em delírio, no preciso momento em que a equipa do Marselha ia entrar para o aquecimento. Conta Mozer que, quando saiu do balneário, deparou-se com toda a equipa do Marselha aterrorizada dentro do túnel. Viraram-se para Mozer e perguntaram-lhe o que se passava, ao que este respondeu: Bem-vindos ao Inferno da Luz!

Carlos Mozer é, actualmente, o treinador da Associação Naval 1º de Maio e conseguiu este domingo uma importante vitória no terreno do Guimarães. Ao primeiro jogo, Mozer conseguiu fazer o que se habitou a fazer durante toda a vida: ganhar! Parabéns Carlos! A nação benfiquista está contigo e todos esperamos e desejamos que tenhamos sucesso na tua carreira.

Força Mozer! Força Benfica!

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

E para 2011

Desejo um Benfica Bi-Campeão Nacional de Futebol.
Desejo um Benfica Vencedor da Taça de Portugal de Futebol.

Desejo um Benfica Tri-Vencedor da Taça da Liga de Futebol.

Desejo um Benfica orgulhoso do percurso na Liga Europa.

Desejo um Benfica que consiga vencer os campeonatos de todas as modalidades de pavilhão, ou seja, Basquetebol, Andebol, Voleibol, Futsal e Hóquei em Patins.

Desejo uma estrutura do Sport Lisboa e Benfica forte, coesa, solidária e humilde.

Ah, e desejo que o ano de 2011 “proporcione” uma melhor visão aos árbitros nacionais. Com as duas premissas anteriores, temos grandes hipóteses de começar a derrubar o sistema implementado no futebol português.

Um grande ano de 2011 para todos, especialmente para o nosso Sport Lisboa e Benfica.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Desejos de Natal

Querido Pai Natal,

Este ano portei-me bem, voltei a comprar o meu Red Pass, continuei o processo de iniciação dos sobrinhos ao Universo Benfica, apoiei a equipa (nunca a assobiei! Nem este ano nem noutro ano qualquer) e alarguei a base de apoio do clube a alguns adeptos estrangeiros.

Quero agradecer-te a festa que me (nos) proporcionaste em Maio. Foi efusiva, alegre e merecida! Foi o culminar duma época quase perfeita (ah, aquele jogo de Liverpool), com uma equipa forte, atacante, entusiasmante, um treinador energético e com uma filosofia de jogo que se enquadra na matriz Benfica. Obrigado!

Para este Natal peço-te apenas uma prenda: humildade! Humildade para todos os responsáveis do Benfica. Humildade para todos os jogadores do Clube. Humildade para todos os sócios e adeptos do Glorioso. Apenas com humildade podemos compreender os erros que cometemos e, assim, poderemos evitá-los no futuro.

Vendemos Ramires sem acautelarmos devidamente a sua saída? Que aprendamos com humildade.

Perdemos 5-0 com o Porto? Que nos sirva de lição para o resto da época, porque se ganharmos todos os jogos até Maio, voltaremos a ser nós a festejar no Marquês.

Fomos eliminados da Champions League? Tenhamos mais humildade no futuro e poderemos fazer “coisas bonitas” na Liga Europa.

Obrigado,

Tu sabes quem sou

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O Voo da Águia

Está tudo louco!

Desde quando é que um Clube como o Benfica pode deixar prolongar-se no tempo uma situação como esta, do conflito com Juan Bernabé?
 
Existe um problema de indisciplina? Trata-se como qualquer outra questão laboral.
 
Existe um problema por causa da Lazio? Prescinda-se dos serviços do Sr. Bernabé e contrate-se outro tratador de águias imperiais. Duvido que não exista outra pessoa que, com treino, possa realizar o mesmo espectáculo antes dos jogos.

O que não pode acontecer são as agressões entre funcionários do Clube.
 
O que não pode acontecer é o lavar de roupa suja e troca de comunicados nos media.
 
Vamos ser profissionais! Vamos dar-nos ao respeito! Vamos colocar as prioridades em ordem!
 
A águia Vitória é “apenas” um espectáculo extra-futebol que agrada a todos os que o vêem e, até poderá, em certa medida, intimidar alguns adversários. Mas não é mais do que isso! Não é o símbolo do Clube! Muito menos o é o Sr. Bernabé.
 
Símbolos do Sport Lisboa e Benfica são Cosme Damião, Borges Coutinho, Eusébio da Silva Ferreira, Mário Coluna, Humberto Coelho, Toni, João Pinto ou Rui Costa. E muitos outros anónimos, claro! Foram eles que fizeram do Benfica um gigante.
 
Não podemos continuar a dar tiros nos pés e a deixar que qualquer pequeno assunto relacionado com o Sport Lisboa e Benfica se torne num tema de discussão nacional.
 
Quanto aos meios de comunicação social, principalmente os ligados ao desporto, deveriam estar mais preocupados em investigar temas como corrupção desportiva, subornos, relações entre dirigentes deportivos, autarcas, juízes e forças policiais, do que com o futuro de um tratador de animais. E também, tácticas, modelos de jogo, “transições ofensivas e defensivas”, etc. Lá está, é tudo uma questão de prioridades.
 
O Benfica “sobreviveu” durante 100 anos sem o Sr. Juan Bernabé e sem a águia Vitória. Imagino que consiga sobreviver mais alguns.
 
Força Benfica!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Liga Europa – Sport Lisboa e Benfica vs. VfB Stuttgart 1893 e.V.



O próximo adversário europeu do Benfica será o Stuttgart da Alemanha. Mais um adversário alemão, pelo que, desde já, o motivo de interesse para grande parte dos jornalistas desportivos e bloggers, será a maldição germânica do Benfica.


Alguns dirão que nem Eusébio nos valeu. Nem Eusébio, nem Humberto, nem João Pinto, etc.

É verdade que nunca ganhámos na Alemanha. So what? Penso mesmo que este deveria ser um factor de motivação extra para os nossos futebolistas. “Entrem na História do Clube! Façam algo que nem Eusébio conseguiu fazer!”


Penso que esta época, precisamos de realismo. O que significa este realismo? Significa que deveremos encarar como objectivos principais da época:
  • Vencer a Taça de Portugal (que saudades da festa do Jamor)
  • Meias-finais da Liga Europa

  • Garantir o 2º lugar do Campeonato, sem nunca perder de vista o 1º

  • Quanto à Taça da Liga, não deveríamos participar, mas uma vez que participamos, devemos defender o título e fazer da Taça da Liga o que o Porto fez da Supertaça – fazer dela muito mais do que é.

Relativamente ao Stuttgart, o Benfica tem todas as condições para ultrapassar esta equipa. Desde que façamos desta uma prioridade e desde que incutamos nos jogadores essa prioridade, eles saberão responder dentro de campo.

Por falar em equipas alemãs, veio-me imediatamente à memória a eliminatória (quartos-de-final) contra o Bayer Leverkusen, em 1994. No jogo da 1ª mão, saí da Luz ainda antes do jogo acabar (foi a única vez que o fiz em toda a minha vida), porque o senhor que me dava boleia queria sair antes de todos os outros milhares. O que aconteceu? Estávamos a meio caminho entre o Terceiro Anel e o exterior do Estádio quando ouvimos um tremendo “Goooooooolo!”. Voltei para trás e celebrei. Mas ainda hoje sinto a falta de ter visto esse golo do nosso profeta Isaías.


Quanto ao jogo da 2ª mão, não há muitas palavras para o adjectivar. Talvez possa dizer que foi o jogo mais marcante que assisti. 4-4! Na Alemanha! Quando toda a imprensa nos dava como eliminados, o brio, profissionalismo e qualidade da equipa levantaram muito alto o nome do glorioso Sport Lisboa e Benfica. Marcadores: Abel Xavier, João Pinto e Kulkov (2).

Deliciem-se com o resumo do jogo.




Todos os dias criamos a nossa História! Esta época ainda pode ser histórica!


Força Benfica!

domingo, 12 de dezembro de 2010

Taça de Portugal

E como hoje é dia de Taça de Portugal, aqui fica um vídeo sobre a melhor final da Taça dos últimos 30 anos.



Acho que foi a única final da Taça que assisti no topo Norte.

Força Benfica! Vamos ao Jamor!

Estádio do Sport Lisboa e Benfica, a Luz

Estádio do Sport Lisboa e Benfica. Este é o nome oficial de um dos mais míticos estádios do futebol mundial.




Os amantes do futebol, se tivessem que eleger 10 estádios incontornáveis da História do futebol, escolheriam Anfield Road, Santiago Bernabéu, Maracanã, San Siro, Wembley, Nou Camp, La Bombonera, Celtic Park, Old Trafford, e claro, a nossa Luz.

Foi no nosso Estádio que aprendi a ver futebol, muito antes de as televisões transmitirem 1, 2, 3, 10 jogos por fim-de-semana.

O Estádio onde Eusébio se fez homem e estrela!

O Estádio onde muitos jogadores se tornaram estrelas mundiais (Sr. Mário Coluna, José Augusto, José Águas, António Simões, Humberto Coelho, Fernando Chalana, Carlos Mozer, João Pinto, Rui Costa, Angel Dí Maria, etc.) e onde outros não aguentaram a pressão de um público fervoroso e único (como aconteceu à equipa do Olympique de Marseille que, em 1990, ficou parada no túnel de acesso ao relvado não querendo acreditar que teria que enfrentar o Inferno da Luz).

Tenho muitas recordações da Luz! A final da Taça UEFA de 1982 (em que eu ainda era apenas um miúdo); a meia-final da Taça dos Campeões Europeus em 1990 contra o Marselha de Bernardette; a meia-final da Taça das Taças em 1994 contra o Parma de Asprilla e Brolin; a final do Campeonato do Mundo de Juniores de 1991; o choro de Rui Costa; a alegria de José Mourinho depois dos 3-0 à lagartagem. Foram muitas tardes e noites de magia, de amor, de fervor. O Benfica fez-se imortal na Luz, no Inferno da Luz!

A melhor recordação? É complicado escolher apenas uma. Talvez o golo de Vata contra o Marselha. Não apenas o golo, mas a atmosfera que se viveu no estádio durante todo o jogo. Entre todos os 135 mil adeptos presentes existia uma fé inabalável, indescritível e enorme de que o Benfica iria ganhar o jogo e iria estar presente em mais uma final da Taça dos Campeões Europeus.

Porque lhe chamamos Estádio da Luz? Não tem que ver com a luminosidade ou com o sistema de iluminação. É apenas a feliz coincidência de o estádio ficar situado perto da Estrada da Luz.

Está na hora de voltarmos a transformar o Estádio da Luz no Inferno da Luz. Está na hora de voltarmos a dizer presente. Está na hora do Benfica!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Razões para o Inexplicável

Enquanto continuamos a viver o martírio da época 2010-2011, vamos pensando como foi possível passarmos do Céu ao Inferno em apenas alguns meses.

Todos apontamos razões, todos temos opinião, todos… somos Benfica!

As minhas razões para o que se está a passar este ano são:

1. Falta de rigor e profissionalismo na estrutura do futebol e no próprio Clube

No Benfica, deixámos de viver para a continuidade de sucessos, para a Glória. Ao vencermos um título, deixamos de pensar no próximo e vivemos momentos “demasiado longos” a saborear o título conquistado.

Um título de 5 em 5 anos não é, nem pode nunca ser, o objectivo do Benfica. Os profissionais do Clube têm que conhecer as aspirações, desejos e objectivos de quem construiu e constrói o Clube, ou seja, das antigas glórias e dos sócios.

O rigor e profissionalismo não são apenas exigíveis aos jogadores e técnicos que se contratam. O rigor e profissionalismo devem estar presentes nos discursos que se fazem, nas conferências de imprensa, nos comunicados, nos processos de contratação, nos apoios que se dão a certos organismos, em tudo.

É necessário rigor, profissionalismo e humildade para sabermos que não temos competência para gerirmos algumas áreas. Deixar o futebol a quem realmente percebe de futebol e para quem tenha um ideal de futebol para o clube será uma das medidas mais acertadas que pode tomar um Presidente do Benfica.

2. Demasiados Interesses extra-Benfica

A História do nosso Clube foi construída sobre os alicerces da verdade, da transparência, da determinação, da honra e da coragem. Estas podem parecer apenas palavras, mas deveriam ser valores vividos e alimentados todos os dias dentro do Clube. Só assim será possível passar a todos os atletas.

Ora, ao vermos negócios “estranhos” com o Atlético de Madrid (comprar um guarda-redes por 8,5 M€ quando em Espanha se dizia que o Zaragoza iria comprar o Roberto por 2M€), com o Real Madrid (venda de Di Maria e compras de Rodrigo e Alípio mal explicadas) e com outras entidades, começamos a colocar em questão os valores morais de quem pratica tais acções. Não se deve confundir o segredo dos negócios com obscurantismo.

3. Excesso de Protagonismo e Vaidade

A direcção do Sport Lisboa e Benfica deveria consciencializar-se que obterá muito mais protagonismo com as sucessivas vitórias do Benfica do que com “jogadas estranhas”. Os sócios do Sport Lisboa e Benfica deveriam, também, colocar em primeiro lugar os interesses do Clube. E quais são os interesses do Clube? A conquista honesta de títulos nacionais e internacionais.

Tudo o que é desenvolvido no Benfica deve ter como objectivo final o interesse acima descrito.

Para que serve a Benfica TV? Para a conquista honesta de títulos nacionais e internacionais.

Para que serve o apoio a um futuro Presidente da FPF? Para a conquista honesta de títulos nacionais e internacionais.

Com a conquista de títulos vem a fama, vêm os lucros, vêm mais adeptos, vem a potencialização ao máximo da marca Benfica.

Para atingirmos o nosso objectivo, temos que implementar uma estratégia, temos que recrutar os melhores recursos, temos que ser duros e exigentes e, acima de tudo, temos que colocar o Benfica acima de qualquer outro interesse.

4. Perceber o Futebol Português

É necessário que quem trabalha no Sport Lisboa e Benfica perceba o que representa o Clube em Portugal (e no Mundo), o que representa uma vitória ou uma derrota, o que representa a insígnia “E Pluribus Unum”.

Mas, também é preciso perceber, o que representam Joaquim Oliveira, Pinto da Costa, Fernando Gomes, Gilberto Madaíl, etc.

É preciso compreender as alianças e os medos que gerem os clubes nacionais, os árbitros, os meios de comunicação social, etc.

Nos anos 60, 70 e 80 do século passado, o Benfica era respeitado por todos os seus adversários (excepto o FCP de Pedroto e Pinto da Costa).

Neste momento o Benfica é “odiado” por muitos adeptos dos mais variados clubes. Temos que ser capazes de dar a volta a esta situação, uma vez que o respeito era algo que funcionava a nosso favor, enquanto o “ódio” é algo que nos enfraquece e que destrói o futebol português.

Dar-se ao respeito! Ninguém pode ser respeitado se não se der ao respeito. Numa época complicada e com tantos contra-tempos não podemos ir a Angola em Novembro. “Ah, mas a viagem já estava programada desde o Verão e recebemos bastante dinheiro!”. O Benfica é, acima de tudo, um clube desportivo! Tudo no clube deve girar em torno do desporto e do sucesso desportivo. Digressões a Angola? Claro que sim, mas em Maio, Junho ou Julho.

O que significa perceber o futebol português? Significa perceber como se “fabricam” os campeões. A fase mais importante da época do Benfica deve ser, sempre, o início da mesma. O Benfica tem que fazer tudo por tudo para conseguir nas primeiras 10 jornadas ganhar 9 jogos. Assim, a Comunicação Social, começa a “criar” a ideia de que somos os grandes candidatos. Assim, os adversários começam a temer-nos e os árbitros têm muito mais dificuldade em “dificultar a vida” a uma equipa vencedora.

Perceber o futebol português também significa compreender que as palavras e os actos são muito importantes. Assim, deveremos ser profissionais ao ponto de saber sempre o impacto das nossas palavras e acções, assim como deveremos sempre saber o que responder.

5. Valores Humanos

O Benfica tem que voltar a ser o clube de José Águas, Mário Coluna, Toni, Humberto Coelho, Rui Costa, Fezas Vital, Vieira de Brito e Jorge de Brito e tem que deixar de ser o clube de Vale e Azevedo, Bibi, etc.

O Benfica tem que saber respeitar os outros. Tem que ser culto. Humano. Honrado. Inteligente. Humilde.

O Benfica é feito de momentos como o de Toni a pedir para sair de campo quando se apercebeu que tinha partido a perna a um adversário (jogador do Porto) e não pode ser feito de momentos como o de Jorge Jesus a mostrar 4 dedos ao treinador adversário.



Quando digo “O Benfica”, não me refiro a presidente, direcção, treinador e jogadores. “O Benfica” é feito por cada um de nós, por isso, cada um de nós deveria compreender um pouco melhor a nossa Mística e perceber que o Benfica é muito maior que cada um de nós, mas é constituído pelos actos e acções de todos nós. E Pluribus Unum. Viva o Benfica!

domingo, 15 de novembro de 2009

O Meu Benfica

Todos nós, Benfiquistas, temos o nosso Benfica. Aquela equipa do Sport Lisboa e Benfica que nos fez ver a beleza intrínseca do futebol, que nos transpôs para um mundo justo, íntegro, humano e valoroso.

O Meu Benfica é a equipa do início dos anos 80. Tudo era perfeito!





Jogadores como Bento, Humberto Coelho, Álvaro ou Shéu, encarnavam a mística. Por sua vez, Chalana, João Alves e Diamantino espalhavam magia e perfume por todos os campos. Filipovic e Nené formavam uma dupla quase perfeita. Ah, e Sven-Göran Eriksson revolucionava e maravilhava o futebol português. Este é o meu Benfica! É contra esta enorme equipa (que, se o mundo fosse justo e perfeito, teria vencido aquela Taça UEFA) que comparo todas as restantes.

Quando penso em Di Maria, tento comparar a sua técnica à de Chalana. Luisão vs. Humberto. Quim vs. Bento. Cardozo vs. Filipovic. Aimar vs. Alves. Etc.

Eu sei! Sou demasiado injusto para com todos os jogadores do Sport Lisboa e Benfica, porque pretendo comparar jogadores e futebóis claramente diferentes e incomparáveis. Mas, foi aquele Meu Benfica que me fez ter esta paixão enorme por tudo o que é vermelho e tem como símbolo uma águia empoleirada na insígnia E Pluribus Unum. Foi devido a esse Meu Benfica que, durante toda a minha vida, senti o Estádio da Luz como a minha casa. Foi devido a esse Meu Benfica que, durante anos e anos, assisti a praticamente todos os jogos do nosso clube que passavam nas tardes desportivas da RTP, fossem eles jogos de Basquete (com a fabulosa equipa de Lisboa, Jean Jacques e companhia), Hóquei em Patins (com a mítica equipa de José Carlos, Paulo Almeida, Vítor Fortunato, Luís Ferreira e Rui Lopes), Andebol, Rugby, etc.

Enfim, este foi, é e será sempre o Meu Benfica!

Esta época, com Jesus, Luisão, David Luiz, Javi Garcia, Angelito, Ramires, Aimar, Saviola, Cardozo e todos os restantes jogadores, existe uma equipa que será o “Meu Benfica” de milhares e milhares de novos Benfiquistas. É com equipas como estas que se constrói o mito de clubes como o nosso.

Estamos a regressar à nossa Glória!

Estamos a regressar à nossa História!

Viva o Benfica!